Dólar tem leves variações ante real; exterior e preocupações locais se contrapõem a BC

sexta-feira, 19 de agosto de 2016 11:26 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar alternava entre leves altas e baixas nesta sexta-feira, com a redução da intervenção do Banco Central no câmbio limitando o impacto da alta da moeda norte-americana no exterior e de preocupações com os rumos fiscais do Brasil.

Às 11:22, o dólar recuava 0,12 por cento, a 3,2293 reais na venda, após subir nas seis sessões anteriores e acumular valorização de 3,23 por cento. Se fechar esta sexta-feira em alta, será a sequência mais longa de avanços em mais de uma década. [nL1N1AZ1P6]

A moeda norte-americana atingiu 3,2498 reais na máxima e 3,2213 reais na mínima do dia. O dólar futuro recuava cerca de 0,35 por cento nesta manhã.

"A mudança nos swaps traz uma ajuda marginal, faz o real ter desempenho melhor que outras moedas em um dia de alta do dólar como hoje", disse o operador da corretora Intercam Glauber Romano.

"Mas qualquer mudança é ruído e o mercado vai continuar na defensiva até que o quadro fiscal esteja mais claro", acrescentou.

O BC retomou nesta sessão o ritmo mais lento de intervenções no câmbio que adotou no início deste mês, vendendo apenas 10 mil swaps reversos, equivalentes a compra futura de dólares. Entre 11 e 18 de agosto, a autoridade monetária havia pisado no acelerador e vendido diariamente 15 mil contratos. [nE6N1AL018] [nL1N1AZ219]

A redução no ritmo de intervenção veio após o dólar subir por seis sessões consecutivas e voltar a se aproximar de 3,25 reais. Em comparação, a mudança anterior aconteceu quando a moeda norte-americana era negociada perto de 3,10 reais, nos menores níveis em mais de um ano.

Cotações baixas tendem a prejudicar a indústria, já que reduzem os preços de produtos exportados. Por outro lado, a alta do dólar pode pressionar a inflação, encarecendo importações.

Alguns operadores já esperavam a manobra, limitando seu impacto. Além disso, a alta do dólar em relação a moedas como os pesos chileno e mexicano limitava o espaço para quedas no Brasil.   Continuação...