ENTREVISTA-EDP Brasil estuda disputar leilão de transmissão de energia e analisa aquisições

segunda-feira, 22 de agosto de 2016 18:39 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - A EDP Brasil, controlada pelo grupo português EDP, avalia expandir para transmissão de eletricidade sua atuação no país, onde já investe em geração e distribuição, o que poderia ser concretizado com a participação da companhia no próximo leilão de linhas de energia, agendado pelo governo para 2 de setembro.

A companhia, que está com caixa após concluir um aumento de capital de 1,5 bilhão de reais em julho, também está atenta a um mercado com diversas oportunidades de aquisições, embora o excesso de ativos à venda no setor elétrico não tenha reduzido o preço para eventuais compradores, afirmou o presidente da elétrica, Miguel Setas, em entrevista à Reuters nesta segunda-feira.

Ele disse que um caminho para a expansão em geração poderia ser o exercício do direito de preferência para a compra de fatias da Eletrobras em usinas nas quais as empresas são parceiras, caso a estatal decida vender ativos, uma possibilidade que tem sido aventada pelo governo interino de Michel Temer.

"São as opções mais óbvias de crescimento... pode ser um negócio interessante, mas é uma conversa que ainda não tivemos com a Eletrobras", afirmou.

A EDP possui 60 por cento da hidrelétrica Peixe Angical, no Tocantins, de 498,8 megawatts, onde é sócia de Furnas, da Eletrobras. Furnas também é parceria da companhia na hidrelétrica São Manoel, de 700 megawatts, atualmente em construção no Pará.

Já em distribuição, a companhia não tem interesse nas sete distribuidoras de energia da Eletrobras, que a estatal já decidiu que tentará privatizar até o final de 2017.

A EDP avalia o perfil dessas distribuidoras é mais adequado a outros investidores do setor, o que já não seria o caso da AES Eletropaulo, concessionária paulista cuja área faz fronteira com a região de atuação da EDP Bandeirante, que atende Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral norte de São Paulo.

Questionado sobre um possível interesse na empresa, que tem sido apontada no mercado como possível alvo de venda pela norte-americana AES AES.N, Setas disse que uma eventual oportunidade seria analisada.   Continuação...

 
Usina de energia da EDP Energias de Portugal em Sines
05/03/2013