Credit Suisse eleva a neutro recomendação de ADR da Petrobras e preço-alvo sobe a US$8,60

sexta-feira, 26 de agosto de 2016 12:56 BRT
 

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Credit Suisse elevou o preço-alvo da ADR da Petrobras para 8,60 dólares, ante 2 dólares, e aumentou a recomendação do papel para neutro ante underperform, explicando que as condições da empresa melhoraram, especialmente para a liquidez, mas que os preços do petróleo ainda preocupam.

Em uma nota a clientes chamada "O caleidoscópio Petrobras: O que você quer ver?", Andre Natal e Regis Cardoso, analistas do Credit Suisse, descreveram o cenário da Petrobras ainda com incertezas, com possíveis diferentes conclusões.

Os analistas consideram que a gestão da empresa pode agregar valor com a administração eficiente de investimentos, desinvestimentos, custo, preços de combustíveis e mudanças estratégicas, mas que o sucesso das medidas não é suficiente.

"As condições melhoraram claramente nos últimos meses, especialmente para a liquidez, mas isso não justifica qualquer preço. Acreditamos que ainda depende de os preços do petróleo se recuperarem para acima de 80 dólares para que o lado positivo se torne material", afirmaram Nadal e Cardoso, na nota.

Nos últimos meses, diversos bancos e corretoras elevaram a recomendação para as ações da Petrobras, como Bradesco, Santander e Itaú BBA, além do UBS que retomou a cobertura afirmando que via a empresa "como uma fênix que renasce graças a previsões maiores para os preços do petróleo, melhorias no marco regulatório local e nova gestão".

(Por Paula Laier e Marta Nogueira)