AlmavivA Brasil se prepara para anunciar novo centro de operações no Brasil

segunda-feira, 29 de agosto de 2016 16:04 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A italiana AlmavivA, terceira maior companhia de centrais de atendimento a clientes do Brasil, se prepara para anunciar a construção de um novo call center no país em 2017, conforme busca ampliar operações no país e na América Latina.

A nova instalação deve gerar quase 5 mil empregos e elevar o quadro de pessoal da companhia a cerca de 37 mil funcionários, afirmou o presidente-executivo da AlmavivA do Brasil, Francesco Renzetti, em entrevista à Reuters.

Segundo ele, o Brasil representa cerca de um terço da receita de sua controladora italiana e o ponto de partida para uma expansão do grupo na América Latina que começou no ano passado com uma operação na Colômbia para oferta de serviços a países de língua espanhola e também para o mercado norte-americano.

Atualmente a empresa presta serviços de atendimento a clientes a partir de centros instalados em Aracaju (SE), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Guarulhos (SP), Juiz de Fora (MG), Maceió (AL), São Paulo (SP) e Teresina (PI). O local do novo centro não foi informado por Renzetti, mas ele afirmou que o projeto vai consumir investimentos de 40 milhões de reais.

"A assinatura do contrato está prevista para 15 de setembro", afirmou o executivo, acrescentando que as obras devem começar em fevereiro do ano que vem, com previsão de serem concluídas entre maio e junho.

O valor do investimento no novo centro é semelhante ao orçamento previsto para todo 2016, em que a AlmavivA deve contratar cerca de 3 mil funcionários. Até o momento, quase metade dessas vagas foi preenchida, sobretudo na região Nordeste, disse Renzetti. Em 2015, a companhia teve 6 mil contratações no país.

A AlmavivA divulga nos próximos dias resultado auditado do primeiro semestre, mas o executivo antecipou que a receita deve mostrar crescimento anual de cerca de 11 a 12 por cento, com alta de cerca de 13 a 14 por cento na rentabilidade.

Em 2015, a AlmavivA do Brasil teve alta anual de 30 por cento na receita bruta, para 921,5 milhões de reais, com o Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) subindo 8 por cento, a 111,8 milhões de reais, apoiada no aumento das operações da companhia e iniciativas de contenção de custos.   Continuação...