Engevix e Queiroz Galvão têm dificuldades para vender ativos em energia

segunda-feira, 29 de agosto de 2016 18:13 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - As empreiteiras Engevix e Queiroz Galvão têm enfrentado dificuldades na busca por compradores para seus ativos no setor de energia, segundo três fontes próximas às negociações e um documento oficial visto pela Reuters, em meio a investigações em andamento sobre as empresas e um cenário político ainda turbulento no país.

Com investimentos bilionários no setor, as empresas colocaram ativos à venda em meio a dificuldades financeiras após serem envolvidas em investigações da Operação Lava Jato, que apura casos de propina em estatais, empresas privadas e partidos políticos.

Segundo um documento do Ministério de Minas e Energia visto pela Reuters, a Engevix enfrenta "grandes dificuldades financeiras" e tem tentado "sem sucesso" vender a hidrelétrica de São Roque, atualmente em construção em Santa Catarina.

No documento, o ministério aponta que atualmente não há previsão de conclusão da usina de cerca de 140 megawatts, que foi licitada em 2011 e precisaria ter entrado em operação neste ano. As obras foram paralisadas em meio à crise financeira da Engevix.

Duas fontes que participam das negociações disseram à Reuters, sob a condição de anonimato, que tem havido pouco avanço na tentativa de encontrar comprador para a usina.

Já a Queiroz Galvão também tem enfrentado dificuldades para negociar sua subsidiária de energia, que possui parques eólicos, hidrelétricas de médio e pequeno porte e usinas a biomassa.

A Queiroz Galvão estima que seus ativos de energia receberam aportes de 4 bilhões de reais, enquanto a hidrelétrica de São Roque, da Engevix, é orçada em cerca de 700 milhões de reais pela companhia.

  Continuação...