Chuvas favorecem florada precoce em áreas de café do Brasil

quinta-feira, 1 de setembro de 2016 16:07 BRT
 

Por Reese Ewing

ESPÍRITO SANTO DO PINHAL (Reuters) - Chuvas generalizadas em toda a metade sul da principal região produtora de café arábica do Brasil estão despertando floradas precoces nos cafezais, as quais poderão formar os primeiros frutos a amadurecerem para a colheita de 2017.

A primeira onda de chuvas, que quebrou um período de seca que começou em junho, desencadeou uma floração moderada vista pela Reuters durante uma viagem por áreas de café na quarta-feira.

As flores adiantadas são potencialmente um bom sinal para o próximo ano, mas é muito cedo para dizer com certeza o resultado disso para a safra. A questão se essas flores vão produzir o café que chegará ao mercado é fator fundamental para os comerciantes, torrefadores locais e compradores internacionais da commodity.

O mundo está entrando em seu segundo ano de um déficit global de café, estimado por analistas do Rabobank em 2,2 milhões de sacas em 2016/2017.

Esse déficit eventualmente pode aumentar se houver pouca chuva nos próximos meses para sustentar o desenvolvimento do café, disse o engenheiro agrônomo Ezelino Tessarini, na cooperativa Coopinhal, que movimenta mais de 125.000 sacas de grãos de arábica por ano.

"Eu não sei se o volume de café dessas flores será grande. É muito cedo", disse Tessarini, em um armazém onde ele ajuda a aconselhar os produtores que circulam pela pelas ladeiras de Espírito Santo do Pinhal, agora que a maior parte da safra atual já foi colhida.

Da flor à cereja madura de café demora pouco mais de seis meses, disse Tessarini, acrescentando que os grãos formados a partir destas flores estariam prontos em março, "o que ainda é dois meses antes do início tradicional da colheita aqui".

    O grupo de pesquisa de café Procafé disse na quarta-feira que árvores em Varginha, no coração da região produtora de arábica do Sul de Minas Gerais, que a floração ocorreu pelo menos duas semanas mais cedo do que o normal, o que tem levantado preocupações sobre a viabilidade das primeiras flores.   Continuação...