September 1, 2016 / 9:27 PM / in a year

Anec reduz previsão de exportação de soja do Brasil a 54 mi t; mantém embarques de milho

3 Min, DE LEITURA

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil deverá exportar 54 milhões de toneladas de soja em 2016, 3 milhões abaixo da projeção anterior, estimou nesta quinta-feira a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), que manteve a previsão de embarques de milho neste ano em cerca de 20 milhões de toneladas.

As projeções foram divulgadas após exportações em agosto de 3,07 milhões de toneladas de soja, volume 41 por cento menor do que o volume embarcado em agosto de 2015.

"Os baixos estoques da oleaginosa no país, decorrentes das perdas na produção da safra 15/16 em função do clima, devem reduzir ainda mais as exportações de soja nos próximos meses em comparação com o segundo semestre do ano anterior", afirmou a Anec em nota.

No acumulado do ano, as exportações de soja registram um total de 47,6 milhões de toneladas, 4 por cento acima do volume observado no mesmo período em 2015.

"O excelente desempenho das exportações de soja neste primeiro semestre deve contribuir para superarmos o volume registrado no ano passado, estabelecendo um novo recorde de exportação em 2016, ainda que menor do que o previsto inicialmente...", afirmou a Anec.

No ano passado, as exportações da oleaginosa brasileira somaram aproximadamente 53 milhões de toneladas, segundo a Anec.

A associação afirmou ainda que o preço da soja, base bolsa de Chicago (CBOT), deve sofrer queda nos próximos meses com o início da colheita da safra norte-americana agora em setembro, e prevista em aproximadamente 110 milhões de toneladas.

A Anec citou ainda avaliação de que a próxima safra do Brasil deverá ficar próxima a 100 milhões de toneladas, a maior já registrada pelo país, o que "deve influenciar ainda mais as cotações internacionais da soja, decrescendo seu preço". Cotações mais baixas poderiam desestimular embarques nos próximos meses.

Milho

As exportações brasileiras de milho registraram em agosto um volume de 3,2 milhões de toneladas, queda de 29 por cento ante o mesmo mês do ano passado.

"Essa diferença menor deve se repetir nos próximos meses, decorrente da quebra na segunda safra do milho, que reduziu demasiadamente a oferta do grão no mercado nacional", comentou a Anec.

O volume total embarcado no ano, acumulado de janeiro a agosto, é de 12,2 milhões de toneladas, alta de 17,7 por cento ante o registrado no mesmo período de 2015, segundo a Anec.

"Nossa estimativa é de que, até o final do ano, sejam embarcadas aproximadamente mais 8 milhões de toneladas de milho, encerrando o ano com 20 milhões de toneladas destinadas ao mercado internacional."

No ano passado, o Brasil exportou um recorde de 30,75 milhões de toneladas de milho, segundo a Anec.

Por Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below