Criação de vagas nos EUA tem resultado pior que o esperado em agosto

sexta-feira, 2 de setembro de 2016 11:52 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O crescimento do emprego nos Estados Unidos desacelerou mais que o esperado em agosto, após dois meses consecutivos de ganhos robustos e ganhos salariais moderados, o que pode efetivamente fazer o Federal Reserve, banco central norte-americano, a desconsiderar aumento da taxa de juros neste mês.

A criação de vagas de trabalho, excluído o setor agrícola, somou 151 mil no mês passado, após aumento revisado para cima de 275 mil vagas ​​em julho, com a contratação nos setores da indústria e da construção em declínio, divulgou o Departamento de Trabalho nesta sexta-feira.

A taxa de desemprego permaneceu inalterada em 4,9 por cento, à medida que mais pessoas entraram no mercado de trabalho

Economistas consultados pela Reuters previam um aumento de 180 mil vagas no mês passado e que a taxa de desemprego caísse 0,1 ponto percentual, para 4,8 por cento.

Os ganhos do emprego no último mês, no entanto, ainda podem ser suficientes para incentivar o Fed a elevar os juros em dezembro. O aumento nas vagas reforça a visão de que a economia recuperou velocidade depois de quase estagnar no primeiro semestre deste ano.

O relatório saiu mais de duas semanas antes da reunião nos dias 20 e 21 de setembro do banco central dos EUA. As chances de alta dos juros para ambas as reuniões de setembro e dezembro haviam subido após os comentários da chair do Fed, Janet Yellen, na última sexta-feira de que a hipótese de aumento dos juros havia se fortalecido nos últimos meses.

O momento da próxima elevação também pode ser determinado pelo crescimento dos salários. O rendimento médio por hora aumentou três centavos, ou 0,1 por cento, em agosto, após sólido aumento de 0,3 por cento em julho.

(Por Lucia Mutikani)

 
Homem entregando currículo durante feira de empregos em Washington.   11/06/2013     REUTERS/Jonathan Ernst/File Photo