Bovespa sobe 2,4% para máxima em 2 anos com ajuda de dados dos EUA

sexta-feira, 2 de setembro de 2016 17:57 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em alta de mais de 2 por cento nesta sexta-feira, na máxima em dois anos, após números do mercado de trabalho dos Estados Unidos esfriarem as apostas em uma alta iminente dos juros norte-americanos.

As ações da Petrobras contribuíram fortemente para o avanço do índice, apoiadas na elevação do petróleo no exterior e dados sobre a adesão ao plano de demissão da companhia.

O Ibovespa subiu 2,37 por cento, a 59.616 pontos, maior nível desde 5 de setembro de 2014. O volume financeiro alcançou 7,65 bilhões de reais. Na semana, o índice subiu 3,3 por cento.

Nos EUA foram criados 151 mil postos de trabalho no mês passado, excluindo o setor agrícola, segundo o Departamento de Trabalho, ante expectativas de analistas de geração de 181 mil vagas. A taxa de desemprego seguiu em 4,9 por cento.

Os números corroboraram argumentos de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, não precisa se apressar para dar mais um passo no processo de alta de juros naquele país.

"A discussão de quando e quantas altas de juros serão promovidas pelo Fed tem direto impacto na alocação de ativos no mundo, impactando assim a demanda por ativos de risco (como os brasileiros)", disse a Lerosa Investimentos em nota a clientes.

O quadro político brasileiro ficou um pouco de lado na Bovespa nesta sessão, com o presidente Michel Temer em viagem à China, com volta prevista apenas na próxima semana.

  Continuação...