Trump diz que taxa de juros nos EUA precisa mudar enquanto Fed avalia alta

segunda-feira, 5 de setembro de 2016 18:59 BRT
 

YOUNGSTOWN, OHIO (Reuters) - O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, que já havia acusado o Federal Reserve de manter as taxas de juros baixas para ajudar o presidente Barack Obama, disse nesta segunda-feira que o banco central norte-americano criou uma "falsa economia" e que as taxas de juros devem mudar.

"Eles estão mantendo as taxas baixas de modo que todo o resto não caia", disse Trump em resposta ao pedido de um jornalista para comentar sobre um potencial aumento de juros pelo Fed em setembro. "Temos uma economia muito falsa", disse ele.

"Em algum ponto, as taxas de juros terão de mudar", acrescentou Trump, que estava em campanha em Ohio nesta segunda-feira. "A única coisa que é forte é o mercado de ações artificial", disse ele.

A chair do Fed, Janet Yellen, disse no mês passado que o banco central dos EUA estava se aproximando de um aumento na taxa de juros, dizendo que o Fed via a economia perto de alcançar suas metas de pleno emprego e estabilidade de preços. [nL1N1B71XW]

O Fed elevou os juros em dezembro passado, pela primeira vez em quase uma década, e naquele momento projetou mais quatro altas em 2016. O Fed mais tarde reduziu essa projeção para duas elevações este ano, na esteira de uma desaceleração do crescimento global e da volatilidade do mercado financeiro.

Trump, durante a campanha das primárias, quando ele derrotou 16 rivais republicanos, chamou o mandato de Yellen de "altamente político" e disse que o Fed deveria elevar os juros, mas que não faria isso por "razões políticas".

O Fed tem sido alvo de alguns críticos conservadores no Congresso dos EUA, que dizem que o banco central arriscou provocar inflação com as suas políticas monetárias flexibilizadas em resposta à crise financeira global.

Autoridades do Fed dizem que sua independência é fundamental para a tomada de decisões políticas sólidas.

(Por Steve Holland em Youngstown; reportagem adicional de Amanda Becker em Washington)

 
Trump fala a jornalistas no avião. 5/9/2016. REUTERS/Mike Segar