Exportações e demanda das famílias lideram crescimento da zona do euro no 2º tri

terça-feira, 6 de setembro de 2016 14:06 BRT
 

BRUXELAS (Reuters) - A exportação forte e a demanda elevada das famílias levou à expansão econômica da zona do euro no segundo trimestre, mas o crescimento desacelerou em relação aos períodos anteriores devido ao enfraquecimento dos estoques e dos investimentos, mostraram nesta terça-feira dados da agência de estatísticas da União Europeia.

A Eurostat confirmou que o Produto Interno Bruto (PIB) dos 19 países que usam o euro cresceu 0,3 por cento na comparação trimestral, com uma expansão de 1,6 por cento na base anual, em linha com as estimativas anteriores e com as expectativas do mercado.

A maior contribuição para o resultado veio do comércio, que acrescentou 0,4 ponto percentual ao resultado final, e da demanda das famílias, com 0,1 ponto.

Mas a queda dos estoques subtraiu 0,2 ponto percentual e a desaceleração do investimento não deu nenhuma contribuição positiva para o crescimento no período entre abril e junho.

(Reportagem de Jan Strupczewski)

 
Estátua do logo do euro vista na ex-sede do Banco Central Europeu em Frankfurt.    20/01/2015        REUTERS/Kai Pfaffenbach/Files