Índice de ações da Ásia atinge maior patamar em um ano por dados fracos dos EUA

quarta-feira, 7 de setembro de 2016 10:39 BRT
 

TÓQUIO/XANGAI (Reuters) - O dólar caiu e as ações asiáticas subiram para máximas em um ano nesta quarta-feira após dados surpreendentemente fracos do setor de serviços dos Estados Unidos frustrarem as expectativas já pequenas de que o Federal Reserve irá elevar os juros norte-americanos ainda este mês.

O índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, subiu 0,4 por cento, ampliando os ganhos nos últimos dois dias para 2,7 por cento e alcançando um nível visto pela última vez em julho do ano passado.

"Quando as pessoas pensam que não há aumento imediato dos juros pelo Fed, então a Ásia e os mercados emergentes são o lugar para ir, já que os investidores buscam rendimentos", disse Toru Nishihama, economista sênior do Dai-ichi Life Research.

O índice Nikkei do Japão, contudo, recuou, já que o avanço acentuado do iene ante o dólar colocou mais pressão sobre os exportadores na terceira maior economia do mundo.

As ações da China fecharam praticamente estáveis nesta quarta-feira, com as quedas nas ações de consumo e de saúde compensado os ganhos das empresas de infraestrutura e de matérias-primas, após Pequim prometer intensificar os esforços de política fiscal para apoiar a economia.

O Conselho de Estado da China também disse que vai incentivar os bancos a concederem mais crédito e reafirmou o compromisso do governo de reduzir o excesso de capacidade, num aviso publicado tarde da noite de terça-feira (horário local).

As ações australianas fecharam em leve alta nesta, após dados mostrarem que a economia da Austrália se expandiu no último trimestre no ritmo anual mais acelerado em quatro anos, apoiada no forte avanço das exportações.

O crescimento australiano no trimestre de abril a junho também foi reforçado por um salto dos gastos públicos antes das eleições e por ganhos modestos nos gastos das famílias e na construção de casas.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,41 por cento, a 17.012 pontos.   Continuação...