BCE mantém juros e março como data para fim de compras de ativos

quinta-feira, 8 de setembro de 2016 09:23 BRT
 

Por Balazs Koranyi e Francesco Canepa

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) manteve sua postura já frouxa de política monetária nesta quinta-feira como esperado, deixando as taxas de juros em mínimas recordes e prometendo preservar as compras mensais de ativos de 80 bilhões de euros até ao menos março.

Ao manter a taxa de depósito em território negativo e imprimir dinheiro a um ritmo recorde, o BCE espera reanimar inflação e o crescimento em uma região afetada por quase uma década de problemas e crises econômicas.

Mas suas medidas não testadas e muitas vezes não convencionais e controversas ainda são consideradas insuficientes, então a expectativa é de que o BCE forneça ainda mais estímulo antes do final do ano já que os governos têm fracassado há anos em fazer sua parte para impulsionar o crescimento.

O BCE manteve a taxa de depósito em -0,4 por cento, cobrando dos bancos o dinheiro no overnight, e deixou a taxa de refinanciamento, que determina o custo do crédito na economia, em zero por cento.

Também manteve março como data final para suas compras de ativos com a ressalva de que o esquema pode ser prorrogado se a inflação não estiver se recuperando.

Repetindo sua orientação futura usual, o BCE acrescentou que os juros permanecerão no nível atual ou mais baixo por um período prolongado, postura que pretende assegurar aos investidores que qualquer reversão nos juros está a muitos anos de distância.