Usiminas aprova termos finais de renegociação de dívida com credores brasileiros e japoneses

sexta-feira, 9 de setembro de 2016 12:47 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Usiminas anunciou nesta sexta-feira que seu conselho de administração aprovou na noite da véspera os termos finais de renegociação de dívida com credores brasileiros e japoneses, mantendo prazo de três anos de carência para início de pagamento de 6,3 bilhões de reais.

Entre os termos definitivos estão compromisso de distribuição de dividendos também aos credores, como forma de amortização antecipada de dívida, e recebimento de pelo menos 700 milhões de reais do caixa da mineradora Musa até o final de junho de 2017 sob risco de vencimento antecipado da dívida.

Procurada, a Usiminas informou que o recebimento dos recursos da Musa é um "processo que está em negociação".

As ações da companhia exibiam queda de 2,2 por cento às 12:43, enquanto o Ibovespa tinha queda de 2,8 por cento.

O acordo também deu aos credores brasileiros garantia às dívidas por meio de hipoteca sobre laminadores de tiras a quente e a frio da usina siderúrgica de Ipatinga(MG).

Os termos mantêm um pré-acerto obtido meses atrás pela empresa com os credores brasileiros, que além de debenturistas incluem Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

As condições foram aplicadas também aos credores japoneses: Nippon Usiminas, Japan Bank for International Cooperation, Bank of Tokyo-Mitsubishi UFJ, Mizuho Bank e Sumitomo Mitsui Banking Corporation.

A renegociação deu à Usiminas prazo de 7 anos para pagamento das dívidas após os três anos de carência. A empresa, porém, não deu detalhes sobre juros ou valores envolvidos na renegociação, mas afirmou que os 6,3 bilhões de reais envolvem 92 por cento da dívida em discussão da companhia. Do total, 83 por cento refere-se a credores brasileiros e o restante, de japoneses.

"As taxas de juros negociadas são competitivas para o prazo de 10 anos", afirmou a Usiminas ao ser questionada sobre os termos financeiros da negociação.   Continuação...