Bolsas europeias fecham em queda reagindo a sinais de Fed e BCE

sexta-feira, 9 de setembro de 2016 14:50 BRT
 

Por Alistair Smout

LONDRES (Reuters) - Os principais índices acionários europeus fecharam em queda de cerca de 1 por cento nesta sexta-feira, acompanhando vendas generalizadas em Wall Street uma vez que investidores reagiram a sinais menos "dovish" do que o esperado de membros de bancos centrais em ambos os lados do Atlântico.

O índice de principais ações europeias FTSEurofirst 300 recuou 1,05 por cento, a 1.359 pontos. O índice pan-europeu STOXX 600 teve queda de 1,09 por cento, a 345 pontos, maior perda diária desde o início de agosto.

As perdas somaram-se ao recuo da sessão anterior, após alguns investidores demonstrarem decepção com o fato de que o Banco Central Europeu (BCE) não ter discutido uma extensão do cronograma de seu programa de estímulo na reunião de política monetária de quinta-feira.

As ações europeias caíram com força acompanhando Wall Street nesta sexta-feira, depois que o membro do Federal Reserve, banco central norte-americano, Eric Rosengren, afirmou que há riscos associados a não elevar os juros em breve. Alguns operadores também disseram que um teste nuclear da Coreia do Norte também afetou o sentimento.

O dólar subiu com investidores especulando que uma alta dos juros nos EUA em setembro se tornou mais provável, e os rendimentos dos títulos de 10 anos da Alemanha foram acima de zero pela primeira vez desde junho.

"A falta de ação do BCE ontem e as declarações de (o presidente) Mario Draghi deixam os participantes do mercado acionário nervosos", disse o chefe de negociações do TJM Partners Manoj Ladwa.

"E ainda existe...a possibilidade de vermos uma alta de juros pelo Fed em dezembro, e o mercado ainda precisa precificar isso...Então talvez esse rali tenha se esgotado por enquanto."

O índice STOXX 600 tocou o nível mais alto em oito meses na segunda-feira, mas fechou a semana com queda acumulada de 1,4 por cento.   Continuação...