Razão entre Petrobras PN e Vale PNA se aproxima de 1 pela 1a vez em dois anos

terça-feira, 13 de setembro de 2016 11:55 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A razão entre o valor das ações preferenciais da Petrobras e da Vale em uma operação casada com compra da primeira e venda da segunda está perto de 1 pela primeira vez em dois anos, conforme os papéis da petrolífera acumulam valorização superior a 100 por cento em 2016.

Muitos investidores operam estratégias de "long & short" buscando ganhar com a diferença de rentabilidade entre as ações em cada ponta.

"Os papéis não têm muita relação entre si, nem mesmo seguem a mesma commodity, mas muitos investidores acompanham esse spread e operam em cima dele", disse o operador Alexandre Soares, da BGC Liquidez.

A recuperação atual do spread se explica pela retomada das expectativas macroeconômicas do Brasil, apoiadas particularmente após a mudança no cenário político do país, afirmaram profissionais do mercado de renda variável.

A última vez que a cotação de Petrobras PN superou a de Vale PNA foi em 3 de setembro de 2014, quando a ação da petrolífera valia 23,95 reais e a da mineradora, 23,77 reais, conforme dados da Thomson Reuters.

"Tal movimento é simbólico, com o mercado sempre comparando o preço das duas", disse o gestor Eduardo Roche, da Canepa Asset Management, que administra um fundo que adota estratégia long & short.

Na segunda-feira, Petrobras PN fechou a 13,95 reais e Vale PNA encerrou a 14,85 reais, com o spread - calculado pela razão dos preços dos papéis, com o ativo "comprado" na estratégia chamada "long & short" como o numerador - igual a 0,94.

Em 2016, Petrobras PN acumula alta de 107,3 por cento, enquanto Vale PNA sobe 43,7 por cento.   Continuação...