ENTREVISTA-Monsanto vê alta de até 57% na área de soja Intacta na América do Sul em 16/17

quarta-feira, 14 de setembro de 2016 22:41 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - A área plantada com soja Intacta RR2 Pro, da Monsanto, pode subir até 57 por cento na safra 2016/17 nos quatro países onde a empresa atua na América do Sul, disse uma executiva da companhia, às vésperas do início do plantio da nova temporada no Brasil.

O plantio da Intacta, tecnologia transgênica que combina tolerância a herbicida com a proteção contra lagartas, atingiu 14 milhões de hectares no Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai em 2015/16. A adoção pode subir para 18 a 22 milhões de hectares em 2016/17, estima a companhia.

"Temos uma expectativa boa para essa safra... Tem ainda muita coisa no mercado... e essa estimativa ainda vai ser refinada no fim do ano", disse à Reuters a líder do negócio de soja para a América do Sul, Maria Luiza Nachreiner.

Se confirmadas as vendas projetadas pela Monsanto, a Intacta estará presente em 31 a 38 por cento das lavouras dos quatro países na safra 2016/17, ante presença em 24 por cento das lavouras na temporada passada.

A Monsanto não divulga dados específicos sobre área plantada no Brasil.

A forte presença das variedades criadas pela Monsanto no Brasil está entre os inúmeros ativos aos quais a Bayer terá acesso caso seja concretizada a compra da gigante norte-americana pela rival alemã, anunciada nesta quarta-feira no exterior.

Durante anos, as sementes geneticamente modificadas criadas pela Monsanto dominaram o mercado de soja do Brasil. Lançada no início da década passada, a soja Roundup Ready (RR1), apenas resistente ao herbicida glifosato, chegou a ser plantada em 84 por cento das lavouras brasileiras em 2013/14, segundo levantamento da consultoria Céleres.

Foi justamente em 2013/14 que a Intacta foi lançada comercialmente no país, sendo utilizada inicialmente por 13 mil agricultores. Esse número subiu para 55 mil na temporada seguinte e atingiu entre 100 mil e 110 mil na safra passada, disse Maria Luiza.   Continuação...