BC está vigilante em relação a inovações financeiras; segue com Lava Jato no radar

quinta-feira, 15 de setembro de 2016 13:21 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central informou que está vigilante em relação à introdução de inovações financeiras na medida em que possam afetar a solidez do sistema financeiro e apontou que está pronto para adotar medidas tempestivamente caso identifique a necessidade de intervenção regulatória.

Em seu Relatório de Estabilidade Financeira do primeiro semestre divulgado nesta quinta-feira, o BC reconheceu as transformações promovidas pelas empresas de tecnologia de serviços financeiros, as chamadas fintechs, e destacou que encoraja o desenvolvimento de novas tecnologias.

"Isso pode estimular a concorrência no mercado, o que impacta sua eficiência e possibilita a oferta de produtos a preços menores aos clientes, atingindo maior parcela da população", afirmou.

Por outro lado, apontou que "novas formas de prestação de serviços implicam a necessidade de métodos atualizados de acompanhamento de seu emprego e de um marco regulatório tempestivamente aprimorado, de forma a garantir o regular funcionamento do Sistema Financeiro Nacional e das infraestruturas do mercado financeiro".

Após alertar em relatórios anteriores que os efeitos decorrentes do aumento do risco de crédito das empresas investigadas na Lava Jato seguiam como fatores de atenção contínua, o BC retirou a menção à operação no documento divulgado nesta quinta.

Em coletiva de imprensa, contudo, o diretor de Fiscalização do BC, Anthero Meirelles, afirmou que a avaliação continua a mesma -- há um risco, mas o sistema tem capacidade de absorvê-lo.

"Lava Jato não deixou de ser preocupação, a gente continua acompanhando os potenciais efeitos dessa operação no sistema", disse ele, acrescentando que parte desses riscos se materializam, pois algumas empresas entraram em recuperação judicial.

CENÁRIO   Continuação...

 
Sede do Banco Central, em Brasília.     23/09/2015      REUTERS/Ueslei Marcelino