Dólar cai 1% e fecha em R$3,2680 após fala de Ilan sobre swap

sexta-feira, 16 de setembro de 2016 17:21 BRT
 

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar terminou a sexta-feira em queda frente ao real, influenciado por viés político favorável e depois de entrevista do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, à Reuters, na qual disse ver menos espaço para reduzir o estoque de swap cambial tradicional.

O dólar recuou 1,02 por cento, a 3,2680 reais na venda. Na mínima do dia, a moeda marcou 3,2625 reais e, na máxima, 3,3210 reais. Na semana, a moeda norte-americana acumulou queda de 0,37 por cento. O dólar futuro caía cerca de 1,1 por cento nesta tarde.

"Os Estados Unidos indo na direção de uma normalização (dos juros) mostra que o intervalo de tempo para os emergentes se ajustarem está se esgotando e, por isso, a propensão do Banco Central de fazer grande oferta de swap é menor", explicou o economista-chefe da Quantitas, Ivo Chermont.

"Acho que a tendência é o dólar retornar aos níveis da semana passada. Hoje devolveu parte do avanço do início desta semana", comentou o gestor do departamento de câmbio da Gradual Investimentos, Hamilton Bernal.

Na entrevista à Reuters, Ilan disse que o BC enxerga menor espaço para redução do estoque de swaps cambiais tradicionais - equivalentes à venda futura de dólares - diante da perspectiva de aumento dos juros nos EUA batendo à porta.

O mercado entendeu que o presidente do BC sinalizou que pode reduzir as intervenções no mercado de câmbio, o que significaria espaço para o real se valorizar ante o dólar.

Além da entrevista, houve ingresso de recursos no mercado, favorecendo o recuo da cotação do dólar, e o mercado gostou do apoio do centrão --que reúne aproximadamente 200 deputados-- ao governo, o que abre espaço para aprovação das medidas fiscais.

Nesse sentido, ajudou ainda o humor a notícia de que o presidente Michel Temer decidiu vetar o projeto de lei que dava reajuste de 60 por cento nos salários dos defensores públicos da União.   Continuação...