Bovespa recua 1,43% com exterior desfavorável e acumula 2ª semana de queda

sexta-feira, 16 de setembro de 2016 17:58 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou com o seu principal índice no vermelho nesta sexta-feira, pressionada pelo quadro negativo no mercado internacional, com ações de bancos e da Petrobras entre as maiores pressões de baixa na sessão.

O Ibovespa caiu 1,43 por cento, a 57.079 pontos. O volume financeiro somou 7,47 bilhões de reais.

O índice de referência do mercado acionário brasileiro recuou 1,59 por cento na semana, a segunda seguida de perdas, e acumula no mês recuo de 1,4 por cento. No ano, o Ibovespa tem alta acumulada de 31,7 por cento.

Em Wall Street, o S&P caiu 0,38 por cento, pressionado pela queda de papéis do setor financeiro e ações de energia, conforme a valorização global do dólar enfraqueceu os preços do petróleo.

A mercado manteve certa cautela, com dúvidas ainda presentes sobre os próximos passos de bancos centrais no exterior, com destaque para o Federal Reserve, o BC dos Estados Unidos, que se reúne na próxima semana.

"O mercado está extremamente arisco e volátil", afirmou o estrategista-chefe da XP Investimentos, Celson Plácido, citando que recentes dados e discursos de membros do Fed com sinais divergentes têm alimentando o ambiente de incertezas.

Nesta sessão, repercutiu a inflação ao consumidor nos EUA em agosto acima das expectativas em agosto, que pende para o lado de apostas de alta mais cedo nos EUA, embora o mercado ainda precifique chance baixa de o Fed subir os juros este mês.

Plácido disse não acreditar em uma elevação dos juros na próxima semana, mas destacou a relevância do comunicado que acompanhará a decisão na quarta-feira, em razão de potenciais mensagens que o Fed possa querer passar.   Continuação...