Projeto S11D, da Vale, ofertará menos minério que capacidade anunciada

segunda-feira, 19 de setembro de 2016 19:11 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O mega empreendimento de minério de ferro da Vale, o S11D, ofertará 75 milhões de toneladas, ante 90 milhões da capacidade anual do projeto no Pará, após a conclusão de um período de quatro anos de aumento gradativo de produção, que se inicia em 2016, informou a mineradora nesta segunda-feira.

"O que foi explicado é que, considerando o ritmo atual de produção em Carajás, na Serra Norte, que atualmente já atinge até 155 milhões de toneladas/ano, e a capacidade da infraestrutura logística de 230 milhões de toneladas/ano, o S11D adicionará, em termos líquidos, 75 milhões de toneladas/ano ao mercado seaborne (em vez de 90 milhões)", afirmou a Vale, dando mais informações sobre uma notícia publicada no Financial Times, na semana passada.

Segundo a assessoria de imprensa da Vale, não houve mudança de capacidade, que seguirá sendo de 90 milhões de toneladas/ano.

"Houve sim um replanejamento de execução das obras do corredor logístico de forma faseada de modo a minimizar as interferências com as operações existentes, otimizar o nosso fluxo de caixa e sem aumentar o capex do projeto."

Não ficou claro se a Vale poderá, em algum momento no futuro, investir novamente em logística para vir a aproveitar toda a capacidade instalada do S11D.

"Importante lembrar que, como já repetido, a Vale vai produzir de acordo com as condições e demanda de mercado. O S11D se encaixa nesta estratégia", afirmou a Vale, respondendo a questionamento da Reuters.

Em entrevista ao jornal britânico Financial Times na semana passada, o diretor das operações de minério de ferro da Vale, Peter Poppinga, disse que o mercado não compreendeu os planos da empresa.

"Uma das coisas que o mercado não está entendendo bem é como a Vale vai elevar a produção do S11D", disse ele ao jornal.

Em meio a preços fracos do minério de ferro, a Vale confirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, informação do jornal.   Continuação...

 
Em foto de arquivo, sede da Vale no centro do Rio de Janeiro, Brasil
20/08/2014 REUTERS/Pilar Olivares/File Photo