Fed mantém juros e sinaliza uma alta até final do ano

quarta-feira, 21 de setembro de 2016 15:25 BRT
 

Por Jason Lange e Howard Schneider

WASHINGTON (Reuters) - O Federal Reserve, banco central norte-americano, manteve a taxa de juro nesta quarta-feira, mas sinalizou fortemente que ainda pode apertar a política monetária até o final deste ano diante da melhora do mercado de trabalho.

O Fed informou que a atividade econômica nos Estados Unidos havia melhorado e que os ganhos no emprego foram "sólidos" nos últimos meses.

"O cenário para um aumento na taxa de juros tem se fortalecido", afirmou o Fed em comunicado após a reunião de dois dias.

O Fed acrescentou que seu comitê havia decidido contra a elevação dos juros "por enquanto", até que haja mais evidências de progresso de seus objetivos de emprego e inflação.

O banco central norte-americano tem mantido sua taxa de juros entre 0,25 e 0,50 por cento desde dezembro, quando elevou os custos de empréstimos pela primeira vez em quase uma década.

O Fed tem parecido cada vez mais dividido sobre a urgência de elevar os juros. Nesta quarta-feira, a presidente do Fed de Kansas, Esther George, a presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, e o presidente do Fed de Boston, Eric Rosengren, foram dissidentes, dizendo que preferiam uma alta.

Ao mesmo tempo, as autoridades reduziram o número de altas de juros que esperam neste ano de duas para uma, de acordo com a projeção mediana de estimativas divulgada com o comunicado. Três dos 17 membros disseram que os juros devem permanecer estáveis pelo resto do ano.

O Fed também projetou alta menos agressiva nos juros no próximo ano e em 2018, e cortou a estimativa para a taxa de juros de longo prazo para 2,9 por cento, frente a 3,0 por cento.

A decisão do Fed, no mesmo dia em que o banco central do Japão acrescentou a meta de taxa de juros de longo prazo a seu programa de compra de ativos em uma reformulação de sua estrutura de política monetária, era esperada por economistas.

(Reportagem de Jason Lange, Lindsay Dunsmuir e Howard Schneider)