Temer diz em NY a empresários que Brasil tem estabilidade política e segurança para investimentos

quarta-feira, 21 de setembro de 2016 19:07 BRT
 

Por Rodrigo Campos e Dion Rabouin

NOVA YORK (Reuters) - O presidente Michel Temer afirmou em discurso a empresários em Nova York que o Brasil vive um momento de estabilidade política "extraordinária" e ressaltou as reformas planejadas pelo governo, como a PEC do limite de gastos e a reforma da Previdência, antes de fazer um convite para que invistam no Brasil.

Temer disse que a confiança está voltando rapidamente ao país e chamou os investidores a participarem de uma nova fase de desenvolvimento do Brasil, ancorada na estabilidade política e na segurança jurídica, de acordo com o presidente.

"Temos uma estabilidade política, o que também dá segurança jurídica, porque nós temos alardeado que lá no Brasil o que for contratado será cumprido", disse Temer no discurso aos empresários.

"Os índices todos de pesquisas feitas ao longo do tempo revelam que a confiança está voltando rapidamente no nosso país... Então, quando venho aqui aos Estados Unidos e em outras tantas atividades, eu venho para convidá-los. Convidá-los a participar desta nova fase, digamos assim, de crescimento do país."

Temer mencionou algumas reformas importantes que seu governo vai propor, apontando a proposta de emenda à Constituição (PEC) que estabelece um limite para o crescimento dos gastos públicos como principal prioridade do governo.

"Nós mandamos (a PEC ao Congresso) na convicção de que nós vamos conseguir aprová-la", discursou o presidente, acrescentando que recebeu o telefonema de três líderes partidários que lhe prometeram que suas bancadas fecharão questão pela aprovação da proposta no Legislativo.

"Nós temos um apoio significativo no Congresso Nacional", afirmou Temer que, em entrevista a jornalistas pouco depois do discurso disse que a PEC será aprovada ainda neste ano.

O presidente também falou aos empresários sobre a proposta de reforma da Previdência, que ele disse que será "radical", reconhecendo que este será um tema "mais difícil".   Continuação...

 
Temer, durante almoço com empresários e investidores em NY
 21/9/2016  REUTERS/Bria Webb