ENTREVISTA-Parente vê Petrobras como credora após negociação com governo no pré-sal

quarta-feira, 21 de setembro de 2016 19:38 BRT
 

Por Marta Nogueira e Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras deverá ser credora na conclusão da renegociação com o governo federal do contrato de áreas do pré-sal cedidas à petroleira em um processo de capitalização, em 2010, com base em avaliações entregues por consultoria internacional, disse à Reuters o presidente da estatal, Pedro Parente.

O contrato da cessão de direitos, conhecido no setor como Cessão Onerosa, garantiu à Petrobras até 5 bilhões de barris de óleo equivalente sem licitação, mas uma renegociação de algumas variáveis, como o preço, estava prevista desde o início.

"Temos visão de que, no final do processo, haverá um dívida da União em relação à Petrobras. Não vou antecipar nem falar de valores... e gostaríamos de encerrar o mais rapidamente possível", afirmou Parente nesta quarta-feira, em sua primeira entrevista exclusiva após a apresentação do novo plano de negócios da empresa.

"Achamos que vamos ser credores porque a gente trabalha com um consultor internacional, e temos esperança que venha demonstrar que somos credor."

Já estava prevista a revisão do valor do contrato ao final da fase exploratória, após a declaração de comercialidade das áreas, já concluída. A revisão será fundamentada em laudos elaborados por entidades certificadoras independentes, de volumes e outras variáveis, como preços do barril de petróleo.

A afirmação de Parente vem em linha com declaração recente do diretor do Departamento de Políticas de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural do Ministério de Minas e Energia, José Botelho Neto, que avalia que a conclusão do processo pode ocorrer até o final do ano. Ele disse que a Petrobras tem "boa chance" de receber.

Parente explicou que os volumes de petróleo e gás das áreas da Cessão Onerosa, que excedem o montante contratado inicialmente, poderão ser dados à empresa pela União como pagamento.

"Esse excedente da Cessão Onerosa seria utilizado para pagar o eventual crédito que a Petrobras venha a ter perante o governo. A gente adoraria que a conta fosse alta para nós", afirmou.   Continuação...

 
Parente concede entrevista à Reuters no Rio de Janeiro. 21/9/2016. REUTERS/Ricardo Moraes