Órgão antitruste do Japão considera ação contra a Apple e operadoras, dizem fontes

sexta-feira, 23 de setembro de 2016 08:40 BRT
 

Por Yoshiyasu Shida

TÓQUIO (Reuters) - Reguladores no Japão estão considerando uma ação contra a Apple sobre possíveis violações antitruste que podem ter ajudado a companhia a dominar as vendas de smartphones no país, afirmaram fontes do governo, em um movimento que poderia afetar as margens de lucro da empresa em um de seus mercados mais rentáveis.

Em um relatório publicado no mês passado, a Comissão de Concorrência do Japão disse que NTT Docomo, KDDI Corp e Softbank Group estavam se recusando a vender modelos de iPhone mais velhos excedentes a varejistas de terceiros, prejudicando, assim, concorrentes menores.

A Apple não foi citada no referido relatório, mas duas fontes sêniores do governo disseram à Reuters que os reguladores também estavam focando em acordos de fornecimento da Apple com as três operadoras.

Sob esses acordos, iPhones mais antigos excedentes são mantidos fora do mercado e enviados para mercados no exterior, tais como Hong Kong, de acordo com fontes da indústria.

As operadoras, presas em uma batalha custosa para ganhar os consumidores que cobiçam iPhones, também compram os smartphones da Apple a granel e os vendem com desconto, o que dá à empresa norte-americana uma vantagem sobre rivais como a Samsung Electronics, de acordo com os dois funcionários do governo e uma fonte da indústria.

Quando questionada sobre as preocupações antitruste, a Apple enviou um link para uma página publicada em 2 de agosto de um relatório da Comissão de Concorrência do Japão que diz que a empresa criou ou apoia 715.000 empregos no Japão com os desenvolvedores sediados no país, arrecadando mais de 9 bilhões em receitas com aplicativos da Apple desde 2008. Ela não comentou mais.