Japão não pode depender apenas do BC para reanimar economia, diz ministro das Finanças

sexta-feira, 23 de setembro de 2016 08:59 BRT
 

TÓQUIO (Reuters) - O governo do Japão não pode depender exclusivamente do banco central para impulsionar o crescimento econômico e derrotar a deflação, após a decisão da autoridade monetária de reestruturar sua política monetária, disse o ministro das Finanças, Taro Aso, nesta sexta-feira.

Na quarta-feira, o Banco do Japão mudou o foco de seu programa de afrouxamento monetário para a taxa de juros dos títulos do governo japonês, desistindo de sua meta explícita de aumentar a base monetária.

"Eu entendo que isso foi adotado como um passo necessário para atingir a meta de inflação de 2 por cento o mais rápido possível, com base em uma declaração conjunta do governo e do Banco do Japão", disse Aso a repórteres após uma reunião de gabinete.

Aso disse que o governo deve realizar a reforma estrutural e realizar seus planos para estimular a economia. A nova estrutura do banco central não terá um impacto imediato sobre os mercados de títulos do governo, acrescentou.

"O governo e o Banco do Japão compartilham a tarefa de acabar com a estagnação deflacionária e alcançar um crescimento econômico sustentável. Não pretendemos pedir apenas ao banco central para resolver."

Aso disse que o governo pretende que o Parlamento aprove rapidamente um orçamento suplementar para financiar parte do pacote de estímulo econômico de 28 trilhões de ienes (277 bilhões de dólares), quando a sua sessão extraordinária for convocada em 26 de setembro.

(Por Tetsushi Kajimoto e Stanley White)