Consórcio liderado por Brookfield paga US$5,2 bi por 90% da NTS, da Petrobras

sexta-feira, 23 de setembro de 2016 15:32 BRT
 

(Reuters) - Um consórcio liderado pela canadense Brookfield chegou a um acordo com a Petrobras para comprar 90 por cento da unidade de gasodutos Nova Transportadora Sudeste (NTS) da estatal, em negócio de aproximadamente 5,2 bilhões de dólares.

A Brookfield vai deter uma participação de controladora no consórcio, que também inclui os fundos CIC Capital Corp, da China, e GIC Private, de Cingapura, que são clientes da Brookfield Asset Management, e o fundo de pensões de British Columbia, no Canadá.

A Reuters havia antecipado o valor da operação no início do mês, citando fonte com conhecimento direto do assunto.

A Petrobras informou nesta sexta-feira que a primeira parcela do montante acordado, correspondente a 84 por cento do valor total (4,34 bilhões de dólares), será paga no fechamento da operação e o restante (850 milhões de dólares), em cinco anos.

A empresa está "fazendo todos os esforços" para obter ainda neste ano as autorizações necessárias para a conclusão da venda, com o objetivo de receber os recursos brevemente, segundo afirmou o gerente-executivo de Gás Natural da Petrobras, Rodrigo Cunha, em conferência com jornalistas nesta sexta-feira.

O acordo para a venda da NTS, que tem cerca de 2,5 mil quilômetros de gasodutos no Sudeste do Brasil, representa o maior desinvestimento até o momento dentro do plano da Petrobras de vender 15,1 bilhões de dólares em ativos em 2015 e 2016.

A venda da NTS não afeta os atuais contratos em vigor para o transporte de gás natural para a Petrobras, que vencem entre 2025 e 2031, explicou Cunha.

O executivo também disse que, em um primeiro momento, a Transpetro, subsidiária de transportes da Petrobras, terá um contrato de operação e manutenção da malha da NTS.

"A operação vai contar com um contrato de operação e manutenção de transição com a Transpetro", disse ele.   Continuação...

 
Trabalhador pinta um tanque da Petrobras em Brasília, Brasil
30/009/2015 REUTERS/Ueslei Marcelino/File Photo