Kuroda, do BC japonês, não vê grandes oscilações na compra de títulos por enquanto

segunda-feira, 26 de setembro de 2016 08:51 BRT
 

OSAKA, Japão (Reuters) - O ritmo em que o Banco do Japão compra títulos vai depender do que é necessário para atingir o seu objetivo para a curva de rendimentos, mas grandes aumentos ou diminuições não são esperados por agora, disse o presidente do banco central do Japão, Haruhiko Kuroda, nesta segunda-feira, reduzindo as especulações de que o banco central estava considerando reduzir as compras de ativos.

Kuroda, em seu primeiro discurso desde a decisão do Banco do Japão na semana passada para reformar o seu programa de estímulo, disse que o banco central estava pronto para usar todas as ferramentas disponíveis para atingir sua meta de inflação de 2 por cento.

Na quarta-feira, o banco central abandonou seu objetivo anterior de elevar a base monetária a um ritmo anual de 80 trilhões de ienes (792 bilhões de dólares), um movimento que analistas viram como um reconhecimento de que seu enorme programa de compra de títulos estava atingindo seus limites.

Ao invés disso, o banco pode elevar as compras de ativos ou acelerar a expansão da base monetária para reduzir acentuadamente os custos de empréstimos, se as condições econômicas e de preço justificarem esse "poderoso" afrouxamento monetário, Kuroda disse em um discurso para líderes empresariais em Osaka, oeste do Japão.

Tais mudanças na quantidade de compras de títulos não vão ter implicações políticas, observou ele.

Embora o Banco do Japão seja consciente do impacto que a política de ultra-afrouxamento poderia ter sobre os lucros dos bancos, isso não iria impedi-lo de expandir o estímulo se necessário para reanimar a economia do Japão.

(Por Leika Kihara)