Profarma informa aquisição de Drogaria Rosário por R$173 mi

segunda-feira, 26 de setembro de 2016 08:54 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Profarma Distribuidora de Produtos Farmacêuticos anunciou nesta segunda-feira que sua subsidiária Nice RJ Participações celebrou com a Brasil Pharma contrato para aquisição da totalidade das ações ordinárias de emissão da Drogaria Rosário S.A.

A aquisição foi realizada ao preço de 173 milhões de reais, livre de dívidas, assumindo um capital de giro normalizado, com provável ajuste de preço de 50 milhões de reais, de acordo com informações enviadas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O pagamento será em duas parcelas: a primeira, em setembro, na data de fechamento, de 32 milhões de reais; e a segunda, 36 meses após o fechamento da aquisição, de 91 milhões de reais.

O contrato, que foi celebrado no dia 25 de setembro, também inclui totalidade das quotas de emissão da Centro Oeste Farma Distribuidora de Medicamentos Ltda (COF) e está sujeito à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

No começo de setembro, a Reuters noticiou, citando fontes, que a Brasil Pharma estava perto de vender a Drogaria Rosário para a Profarma, em venda que poderia atingir cerca de 200 milhões de reais.

De acordo com o fato relevante nesta segunda-feira, a Brasil Pharma poderá fazer jus a um prêmio de 15 milhões de reais atrelado ao desempenho da Rede Rosário, caso a receita bruta acumulada no prazo de 36 meses atinja 2,25 bilhões de reais.

Conforme nota à imprensa da Profarma, com a operação, a rede farmacêutica dobra sua plataforma de varejo, totalizando 279 lojas distribuídas pelas regiões Sudeste e Centro-Oeste. A Rede Rosário opera 150 lojas no Distrito Federal, em Goiás, Tocantins e Mato Grosso, bem como conta com aproximadamente 2,2 mil funcionários e atende a mais de 700 mil clientes por mês.

"Acreditamos muito na força desta marca regional e estamos confiantes na nossa capacidade de integração", disse o diretor-presidente da Profarma, Sammy Birmarcker, em nota.

(Por Paula Arend Laier)