Tentativa de acordo na Opep caminha para fracasso com rejeição do Irã

terça-feira, 27 de setembro de 2016 16:47 BRT
 

ARGEL (Reuters) - O Irã rejeitou nesta terça-feira uma oferta da Arábia Saudita para limitar sua produção de petróleo em troca de um corte de oferta de Riad, frustrando esperanças do mercado de que os dois principais produtores da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) poderiam fechar um acordo nesta semana para ajudar a reduzir a sobreoferta global de petróleo.

"A diferença (de visões) entre os países da Opep está diminuindo. Eu não espero que um acordo saia das consultas amanhã", disse a jornalistas o ministro de Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falih.

O ministro do Petróleo do Irã, Bijan Zanganeh, disse mais cedo: "Não é a hora de tomar decisões". Ao falar sobre o próximo encontro formal da Opep em Viena, em 30 de novembro, ele acrescentou: "Vamos tentar alcançar um acordo para novembro."

A Opep vai se reunir informalmente às 11h (horário de Brasília) na quarta-feira. Os membros também vão se encontrar com produtores não pertencentes ao grupo nos bastidores do Fórum Internacional de Energia, que reúne produtores e consumidores.

Os preços do petróleo caíram a menos da metade dos níveis de 2014 devido ao excesso de oferta, impulsionando produtores da Opep e a rival Rússia a buscar um reequilíbrio de mercado que poderia elevar as receitas das exportações de petróleo e ajudar suas combalidas finanças.

A ideia predominante entre produtores desde o início de 2016 é fechar um acordo para o congelamento dos níveis de produção, embora observadores do mercado digam que esse movimento não reduziria suficientemente o excesso de oferta.

(Por Rania El Gamal, Alex Lawler e Vladimir Soldatkin)