Energia contratada em leilão promovido em 2014 deve ter 58% de frustração, diz governo

quarta-feira, 28 de setembro de 2016 16:37 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O governo vê "frustração" em 58 por cento das usinas de geração contratadas em um leilão realizado em 2014, com previsão de operação a partir de 2019, segundo ata de reunião do Conselho de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) divulgada nesta quarta-feira.

De acordo com o documento, que relata a última reunião do comitê de autoridades de energia, realizada em 1° de setembro, 24,9 por cento das usinas que venderam a produção futura no leilão A-5 daquele ano não tiveram obras iniciadas, enquanto 49,2 por cento não possuem previsão de data de conclusão.

O certame, realizado em novembro de 2014, contratou 5.033 megawatts em capacidade instalada de usinas hidrelétricas, termelétricas e eólicas.

O secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia, Eduardo Azevedo, afirmou no final de agosto que o governo está em meio a uma revisão do planejamento do setor, o que passará por uma avaliação de quais projetos contratados nos últimos anos não serão efetivamente viabilizados.

(Por Luciano Costa)