Dólar volta a R$3,25 com aversão a risco por preocupações com Deutsche Bank

quinta-feira, 29 de setembro de 2016 17:25 BRT
 

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar avançou mais de 1 por cento nesta quinta-feira e retomou o nível de 3,25 reais, patrocinado por um movimento de aversão a risco depois que notícia veiculada pela agência Bloomberg gerou preocupações com o maior banco alemão, o Deutsche Bank.

O dólar fechou em alta de 1,05 por cento, a 3,2555 reais, maior nível desde o último dia 20 (3,2610 reais). Na mínima da sessão, a moeda marcou 3,2150 reais e, na máxima, 3,2698 reais.

O dólar futuro avançava cerca de 1,32 por cento nesta tarde.

Os ADRs (recibos de ações negociados nos Estados Unidos) do banco alemão recuaram fortemente depois que a agência Bloomberg informou que alguns fundos de hedge desmontaram posições e retiraram parte do dinheiro alocada na instituição.

Após a divulgação da notícia, um porta-voz do banco alemão disse estar confiante de que a grande maioria dos clientes comerciais do banco vê o grupo com posição financeira estável.

"O movimento no dólar foi instantâneo, houve claramente flight to quality, com saída de recursos dos emergentes", disse o diretor de operações da Mirae Asset, Pablo Spyer. "O dinheiro foi principalmente para o T-bond de 10 anos", comentou, em referência as títulos do Tesouro dos Estados Unidos de 10 anos.

No final da tarde, o dólar subia ante outras divisas emergentes, como o peso mexicano e o rand sul-africano

O dólar oscilou entre altas e quedas mais cedo na sessão, ora reagindo a fluxo de ingresso de recursos e notícias com viés baixista, como o anúncio de leilão de linha na manhã de sexta-feira, ora valorizando em meio a dados melhores sobre a economia norte-americana, que reforçaram as apostas de alta dos juros na maior economia do mundo em dezembro.   Continuação...