Eletrobras busca saídas para dívida com Petrobras e retomada de Angra 3

sexta-feira, 30 de setembro de 2016 16:57 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A estatal Eletrobras busca saídas para três enormes imbróglios no caminho da recuperação da companhia-- uma dívida bilionária com a Petrobras pela compra de combustíveis para termelétricas, a paralisação das obras da usina nuclear de Angra 3 e os grande atrasos no cronograma de linhas de transmissão que precisam ser construídas por sua subsidiária Chesf.

O presidente da companhia, Wilson Ferreira Jr., disse nesta sexta-feira que os débitos com a Petrobras deverão agora ser alvo de uma negociação conduzida pessoalmente por ele junto ao presidente da petroleira, Pedro Parente.

"Está havendo discussões entre equipes dentro da Petrobras e da Eletrobras, e espero que agora suba de nível e discutamos ele e eu", explicou Ferreira, que falou com jornalistas após evento em São Paulo.

Ele disse que ao assumir o comando da maior elétrica do país, em julho, recebeu do governo do presidente Michel Temer a missão de resgatar a credibilidade da companhia, o que teve início com um movimento para quitar dívidas, como as que a Eletrobras possuía junto a geradores pela compra de eletricidade contratada em leilões, que segundo ele foram quitadas recentemente.

O executivo afirmou também que a Eletrobras está muito próxima de acertar a inadimplência junto ao mercado de curto prazo de energia, cujas liquidações financeiras são realizadas mensalmente pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

"Tinha muita inadimplência setorial, com nossos sócios e alguns fornecedores, entre eles a Petrobras... a (dívida) com a Petrobras é maior, é natural (que demore mais), pelo tamanho. As menores já foram resolvidas", afirmou Ferreira.

ANGRA 3 E CHESF

A Eletrobras contratou uma consultoria para ajudá-la a definir meios de retomar as obras da usina nuclear de Angra 3, que foram paralisadas neste ano em meio a denúncias de corrupção investigadas pela Polícia Federal (PF) e pelo Ministério Público no âmbito da operação Lava Jato.   Continuação...