ENTREVISTA-Potencial do mercado de recuperação de crédito no Brasil é de R$300 bi, diz Recovery

sexta-feira, 30 de setembro de 2016 17:56 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado de recuperação de crédito inadimplente no Brasil deve voltar a crescer nos próximos meses e só o setor bancário tem um estoque superior a 300 bilhões de reais, disse à Reuters Flávio Suchek, presidente da Recovery, líder do setor.

Segundo o executivo, fatores como o aumento da população bancarizada, que ampliou o acesso aos tomadores, e o atual ciclo prolongado de aumento dos calotes vão incentivar vendas de carteiras pelos bancos, os maiores vendedores de crédito vencido.

"O mercado só tende a crescer, diante do aumento da inadimplência e do amadurecimento do setor", disse o presidente da Recovery, empresa criada na Argentina, em entrevista à Reuters.

A recuperação de crédito floresceu rapidamente nos últimos anos no país, que enfrenta a maior recessão em quase um século, com reflexos no rápido aumento do desemprego, das recuperações judiciais e de falência de empresas.

De meados de 2010, quando a Recovery chegou ao país, esse mercado passou de algumas centenas de milhões para cerca de 25 bilhões de reais no ano passado, segundo estimativas de empresas do setor.

Com uma carteira de mais de 50 bilhões de reais em valor de face e cerca de 60 por cento do mercado, a Recovery tem dito que prevê triplicar seu portfólio nos próximos dois anos.

Esse impulso deve vir majoritariamente das carteiras vendidas pelo Itaú Unibanco, que no fim de 2015 comprou 89 por cento da Recovery, antes controlada pelo BTG Pactual, por cerca de 1,2 bilhão de reais.

"Naturalmente devemos ter transferência de carteiras do Itaú em condições de mercado", disse Suchek.   Continuação...