Deutsche Bank corre contra o tempo para chegar a acordo nos EUA

domingo, 2 de outubro de 2016 14:46 BRT
 

FRANKFURT (Reuters) - O Deutsche Bank está focando suas energias em conseguir um acordo antes da eleição presidencial dos Estados Unidos no mês que vem, com as autoridades exigindo uma multa de até 14 bilhões de dólares por vendas enganosas de títulos lastreados por hipotecas.

A ameaça de uma multa tão grande levou as ações do Deutsche a mínimas recorde, e um acordo com valores reduzidos é urgentemente necessário para reverter a tendência e ajudar investidores a restaurar a confiança na maior instituição financeira da Alemanha.

Uma reportagem do final da sexta-feira noticiando que o Deutsche e o Departamento de Justiça estavam próximos de um acordo de 5,4 bilhões levantou as ações para uma alta de quase 6 por cento, mas a reportagem não foi confirmada.

"Claramente, mesmo que uma multa desta magnitude seja uma possibilidade remota (14 bilhões de dólares), os mercados se preocupam", disse o economista chefe do UniCredit, Erik Nielsen, neste domingo.

O presidente-executivo do Deutsche, John Cryan, estará em Washington esta semana para a reunião anual do Fundo Monetário Internacional (FMI) e o jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung noticiou que outros executivos se juntariam a ele para tentar negociar um acordo com as autoridades norte-americanas.

(Por Georgina Prodhan e Kathrin Jones; reportagem adicional por Harro ten Wolde)