Estrategistas de ações iniciam outubro ainda à espera de avanços em medidas econômicas

segunda-feira, 3 de outubro de 2016 12:31 BRT
 

Por Flavia Bohone

SÃO PAULO (Reuters) - Outubro começa com estrategistas de ações ainda na expectativa de avanço nas medidas de ajuste econômico no Congresso Nacional, particularmente aquela que limitará o crescimento dos gastos à inflação do ano anterior, além de possível início de um processo de afrouxamento monetário pelo Banco Central.

Para a equipe do BTG Pactual, este e o próximo mês são fundamentais para definir o futuro do governo de Michel Temer, conforme relatório enviado a clientes, destacando principalmente a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece um limite para o crescimento dos gastos públicos.

"A habilidade de aprovar uma versão da proposta similar àquela apoiada pelo governo mostrará a força do apoio político ao presidente Temer e lançará as bases para as próximas reformas", escreveu o BTG.

Na semana passada, o relator da matéria na Câmara, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), disse que a PEC teve ter sua tramitação concluída na Câmara dos Deputados e enviada ao Senado até o fim deste mês.

O BTG diz que seu portfólio segue posicionado para capturar também uma potencial redução nos juros e melhora da atividade.

Pesquisa Focus nesta segunda-feira mostrou que as expectativas entre economistas passaram a embutir um corte de 0,25 ponto percentual na taxa básica de juros na próxima reunião do Copom. Se confirmado, será o primeiro corte em mais de um ano.

A equipe da Citi Corretora adota certa cautela quanto à recuperação da economia, destacando que "dadas as restrições dos fundamentos econômicos, a recuperação provavelmente será mais gradual, quando comparada com recuperações anteriores".

O começo da temporada de resultados corporativos no Brasil neste mês também está no radar dos estrategistas, conforme as carteiras compiladas pela Reuters.   Continuação...