Embarques de trigo dos EUA para o Brasil quase dobram em 4 meses

segunda-feira, 3 de outubro de 2016 17:10 BRT
 

(Reuters) - Os Estados Unidos já embarcaram 883,4 mil toneladas de trigo para o Brasil nos primeiros quatro meses desde o início do ano comercial 2016/17, em junho, praticamente o dobro do exportado em todo o ano comercial 2015/16, informou nesta segunda-feira o Departamento de Agricultura norte-americano (USDA).

Na semana encerrada em 29 de setembro, os embarques de trigo dos EUA para o Brasil somaram 87,2 mil toneladas. Foi a oitava semana consecutiva com embarques do cereal para o Brasil.

Na avaliação do diretor da consultoria Trigo & Farinhas, Luiz Carlos Pacheco, os embarques registrados nas últimas semanas são decorrentes de contratos fechados 45 a 60 dias atrás.

"De julho em diante não havia mais trigo nacional, pelo menos em quantidade suficiente para abastecer os moinhos. Então os preços internos estavam ao redor de 900 a 930 reais por tonelada e o trigo americano chegava aqui a 870 a 890 reais, em Santos, por exemplo. Então ele (trigo dos EUA) era competitivo", afirmou o analista.

Em todo o ano comercial 2015/16, encerrado em maio, os Estados Unidos exportaram 483 mil toneladas de trigo para o Brasil. Na temporada anterior, a Argentina não sofreu com problemas de safra, o que provocou uma demanda menor pelo trigo dos EUA.

O volume já embarcado pelos EUA ao país na atual temporada representa mais de 15 por cento das importações totais do cereal pelo Brasil em 2016, segundo estimativa do Ministério da Agricultura brasileiro.

Até a semana encerrada em 22 de setembro, o Brasil figurava como o terceiro maior comprador de trigo dos EUA nesta temporada, apenas atrás apenas de Filipinas e México.

Atualmente, o trigo norte-americano chega aos portos de Santos, Salvador e Fortaleza mais caro que o produto da nova safra do Brasil, que está em fase inicial de colheita.

"Este fluxo dos EUA está com os dias contados. Não deve haver novas compras, apenas entregas. Até porque está começando a entrar a safra brasileira e deve haver compras de trigo do Paraná e do Rio Grande do Sul", disse Pacheco.

(Por Gustavo Bonato, em São Paulo)