Dólar cai 1,4% e fecha no menor patamar desde meados de agosto

segunda-feira, 3 de outubro de 2016 17:25 BRT
 

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar recuou frente ao real na primeira sessão de outubro e retornou ao patamar de 3,20 reais, influenciado por algum ingresso de recursos de estrangeiros em meio ao otimismo gerado pelo resultado das eleições municipais de domingo.

A moeda norte-americana recuou 1,41 por cento para 3,2057 reais, menor cotação de fechamento desde 22 de agosto. Na mínima do dia, o dólar marcou 3,1987 reais e, na máxima, 3,2517 reais. O dólar futuro cedia 1,63 por cento esta tarde.

"O resultado das eleições municipais favoreceu o governo e reforçou a percepção de que um ajuste (fiscal) pode ser mais fácil no Congresso, já que muitos políticos mudam de lado e podem se bandear para o lado que está ganhando o jogo", comentou um profissional de câmbio de uma corretora nacional.

Algum ingresso por parte de estrangeiros contribuiu para o recuo mais forte do dólar durante a tarde. Com menor giro, menos negócios potencializaram a trajetória de baixa.

Investidores também zeraram posições compradas e intensificaram o movimento, diante da expectativa de entrada ainda maior de recursos num futuro próximo.

"O grande vencedor dessas eleições foi o PSDB, por ter triunfado em São Paulo, abrindo espaço para o governador Geraldo Alckmin ser o nome de consenso em 2018. Quando migra de Aécio Neves para Alckmin, traz alívio ao mercado, já que o mineiro pode ter algumas complicações nas investigações em curso daqui para a frente", avaliou o superintendente Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva.

O PSDB conseguiu com o candidato João Doria, afilhado político de Alckmin, uma inédita eleição em primeiro turno em São Paulo, maior colégio eleitoral do país.

As eleições podem levar o governo federal a acelerar a votação das medidas de ajuste fiscal no Congresso, entre elas, a PEC que estabelece um teto para o crescimento dos gastos públicos.   Continuação...