Temer chama líderes da base para fazer apelo para aprovação da PEC dos gastos

terça-feira, 4 de outubro de 2016 19:45 BRT
 

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O governo chamou os líderes da base aliada, depois da apresentação do relatório sobre a Proposta de Emenda à Constituição que limita os gastos públicos na comissão especial, para que o presidente Michel Temer fizesse pessoalmente um apelo pela votação da PEC na próxima segunda-feira, disse o líder do Solidariedade após a reunião.

"O presidente pediu um empenho total. Teve reunião ontem à noite, hoje de manhã, e agora essa com o presidente", disse a jornalistas o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), o Paulinho da Força.

Temer ainda marcou um jantar com todos os deputados da base aliada para o próximo domingo, com a intenção de manter a mobilização e garantir o quórum.

A intenção do governo é votar toda a PEC na segunda-feira, dia que costuma ter quórum baixo no Congresso.

"Acredito que podemos sim votar tudo na segunda-feira. A intenção é começar cedo e ir até a hora que for necessário para derrubar todas as obstruções", disse Paulinho.

Também falando a jornalistas, já no Congresso, o líder do governo na Câmara, deputado André Moutra (PSC-SE), disse que o objetivo é realizar o segundo turno de votação da PEC no dia 24 de outubro.

Para ser aprovada, a PEC precisa do voto favorável de 308 deputados, o equivalente a três quintos, em dois turnos e depois, em outras duas votações, 49 senadores, também três quintos.

A maior parte dos partidos da base já fechou questão pela aprovação da PEC na Câmara. Um dos únicos que ainda não se definiram pela aprovação foi justamente o Solidariedade. O problema, de acordo com Paulinho, é o artigo que restringe o aumento das despesas em educação e saúde.   Continuação...

 
Temer durante evento em São Paulo
 30/9/2016 REUTERS/Paulo Whitaker