Britânica Tesco eleva meta de margem conforme recuperação se mantém

quarta-feira, 5 de outubro de 2016 07:53 BRT
 

LONDRES (Reuters) - A Tesco, maior varejista da Grã-Bretanha, disse que vai aumentar o investimento em suas lojas e rede de distribuição para elevar a rentabilidade ao longo dos próximos três anos depois de reportar resultados fortes no primeiro semestre.

As ações do grupo, que está se recuperando da recessão mais difícil de sua história, valorizou-se 12 por cento para uma máxima de 13 meses, enquanto os supermercados rivais Sainsbury e Morrisons também se beneficiavam com a notícia.

"Hoje, estamos compartilhando nossa ambição de proporcionar uma margem operacional para o grupo de entre 3,5 e 4,0 por cento para nosso exercício 2019/20", disse a companhia nesta quarta-feira. Isso se compara com um valor de 2,18 por cento no primeiro semestre do ano em curso.

O presidente-executivo da Tesco, Dave Lewis, está liderando uma recuperação no varejo depois que suas vendas, lucros e valores de seus ativos foram pressionados por um escândalo contábil, mudança de hábitos de compras e a ascensão das redes alemãs de desconto Aldi e Lidl.

A Tesco disse que vai cortar custos operacionais em mais 1,5 bilhão de libras (1,9 bilhão de dólares) ao longo de três anos com a melhoria na rede distribuição e simplificação das operações nas lojas.

Os investimentos (capex) para as mudanças somarão 1,4 bilhão de libras por ano, em média, disse a empresa, acima do montante de 1 bilhão de libras do ano passado.

A Tesco, que ainda tem mais de 28 por cento do mercado britânico, reportou uma alta de 60 por cento no seu lucro operacional antes de itens extraordinários, para 596 milhões de libras nos seis meses até 27 de agosto, na ponta de cima das estimativas de analistas.

(Por James Davey, com reportagem adicional de Paul Sandle)