Ações europeias recuam por pressão de serviços públicos e do setor imobiliário

quarta-feira, 5 de outubro de 2016 14:28 BRT
 

MILÃO (Reuters) - Os principais índices europeus de ações recuaram nesta quarta-feira, diante de preocupações de que o Banco Central Europeu (BCE) possa reduzir o ritmo de compra de títulos, o que levou ao recuo de ações de concessionárias de serviços públicos e do setor imobiliário.

O índice de principais ações europeias FTSEurofirst 300 teve queda de 0,46 por cento, a 1.356 pontos. O índice pan-europeu STOXX 600 caiu 0,55 por cento, a 344 pontos.

A agência Bloomberg noticiou na terça-feira que o BCE provavelmente irá reduzir gradualmente seu programa de compras mensais de 80 bilhões de euros em títulos antes de encerrar o programa de "quantitative easing" (QE).

Um porta-voz do BCE disse mais tarde que a instituição não discutiu a redução no ritmo de compras mensais de títulos e alguns investidores disseram que é muito cedo para dizer se as preocupações do mercado são justificadas. O programa vence em março do próximo ano e muitos analistas esperam que ele seja estendido dado que a inflação permanece baixa.

Mas a mera possibilidade de redução das compras foi o suficiente para sacudir os mercados, que já questionam se os bancos centrais têm capacidade para impulsionar o crescimento e a inflação, e se os governos deveriam fazer mais.

Os rendimentos de títulos da zona do euro subiram, levando à queda das ações de empresas de serviço público e do setor mobiliário europeu. Esses setores tendem a cair quando os rendimentos dos títulos sobem, pois elevam os custos de empréstimo para as empresas desses setores que com frequência são muito endividadas.

O índice de serviços públicos do STOXX caiu 2,06 por cento e o do setor imobiliário recuou 2,93 por cento.

Por outro lado, o movimento dos rendimentos dos títulos aliviou um pouco a pressão de venda sobre os bancos europeus, já que rendimentos mais altos podem significar ganhos maiores dos bancos na concessão de empréstimos.

O índice do setor bancário STOXX Europe 600 subiu 1,4 por cento, mais ainda acumula queda de cerca de 20 por cento no ano.   Continuação...