Produtor argentino foca no plantio de milho e trigo em detrimento da soja

quarta-feira, 5 de outubro de 2016 16:56 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - A Argentina vai provavelmente colher uma safra recorde de milho, uma vez que produtores estão favorecendo o plantio de milho e trigo em detrimento da soja na safra 2016/17 que se aproxima, disse a Bolsa de Grãos de Buenos Aires nesta quarta-feira.

Uma safra recorde de 36 milhões de toneladas de milho para uso comercial é esperada, 20 por cento acima das 30 milhões de toneladas em 2015/16, disse Esteban Copati, chefe das estimativas de safra na Bolsa.

A safra de soja, por outro lado, foi estimada em 53 milhões de toneladas, abaixo das 56 milhões de toneladas do ano anterior, disse Copati a jornalistas. A Argentina é a terceira maior exportadora do mundo de milho e soja.

"Este ano estamos projetando expansão na área do milho... esperamos que a soja abra mão de um pouco de área", disse Copati, explicando que o clima de um La Niña moderado também poderia enfraquecer a produtividade em algumas áreas de plantio de soja.

A área de plantio da soja vai provavelmente cair para 19,6 milhões de hectares ante 20,1 milhões de hectares há um ano, de acordo com a Bolsa. Enquanto isso, a área de plantio do milho deve subir para 4,9 milhões de hectares ante 3,85 milhões de hectares em 2015/16.

Pouco depois de assumir o cargo em dezembro, o presidente argentino Mauricio Macri eliminou as taxas de importação do milho e do trigo como parte do plano para revitalizar o setor agrícola do país.

(Por Maximilian Heath)