Venda de ativos de fertilizantes da Vale está encaminhada, dizem fontes

quarta-feira, 5 de outubro de 2016 18:59 BRT
 

Por Tatiana Bautzer e Guillermo Parra-Bernal

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O plano da mineradora Vale de se desfazer de suas unidades de fertilizantes continua encaminhado apesar de um pedido feito na última semana pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para analisar a transação com mais cuidado, segundo duas fontes com conhecimento direto do tema.

Os termos do acordo, que envolvem a venda de certos ativos para a norte-americana Mosaic, não devem ter alterações significativas, disse uma das pessoas, que pediu anonimato para poder falar abertamente sobre o tema.

O BNDES adiou o voto sobre o acordo durante uma reunião de Conselho de Administração da Vale na última quinta-feira, disse a primeira pessoa familiarizada com o tema. Sem dizer como havia obtido a informação, o colunista Lauro Jardim, do jornal "O Globo", reportou naquele dia que o BNDES havia adiado o voto sobre a transação para o dia 20 de outubro.

Uma das fontes disse que a Mosaic poderia pagar cerca de 3,6 bilhões de dólares por alguns dos ativos de fertilizantes da Vale.

Outras operações dentro da unidade de fertilizantes da Vale estão sendo negociadas com a norueguesa Yara International, disse a primeira fonte, sem dar mais detalhes.

Tanto a Vale quanto o BNDES, com sede no Rio de Janeiro, não quiseram comentar, bem como a Mosaic. A Yara disse que não comenta especulações de mercado.

A Reuters reportou primeiro que a Mosaic tinha interesse nos ativos de fertilizantes da Vale em 17 de junho.

A transação ressalta como o Brasil, quinto maior consumidor de fertilizantes do mundo, continua um importante ponto de crescimento para produtores de fertilizantes e fosfatos.   Continuação...