Opep pode cortar mais produção em novembro se for necessário, diz Argélia

quinta-feira, 6 de outubro de 2016 11:51 BRT
 

ARGEL (Reuters) - A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) pode cortar sua produção em 1 por cento adicional em seu encontro em novembro, além do que já foi acordado entre os produtores em reunião na Algéria no mês passado, se os produtores reconhecerem que isso é necessário, disse o ministro de Energia da Argélia, Nouredine Bouterfa, à TV local Ennahar.

Ele também disse à emissora que a Opep e os países não membros realizarão um encontro informal em Istambul entre 8 e 13 de outubro para discutir como implementar o acordo fechado na Argélia.

Fontes disseram à Reuters que participarão da reunião os grandes produtores da Opep e também a Rússia, que não integra o grupo.

Os produtores da Opep fecharam um acordo em Argel em setembro para reduzir a produção em cerca de 700 mil barris por dia, para entre 32,5 milhões e 33 milhões de barris por dia, na primeira redução da oferta desde 2008. A Opep estima sua atual produção em 33,24 milhões de barris.

"Nós vamos avaliar o mercado em Viena no final de novembro e, se os 700 mil barris não forem suficientes, nós vamos subir. Agora que a Opep está unida e fala em uma só voz, tudo é muito mais fácil, e se nós precisamos cortar mais 1 por cento, nós vamos", afirmou Bouterfa na entrevista, exibida nesta quinta-feira.

A Argélia é um dos membros da Opep que tem lutado pelo aumento dos preços do petróleo, e a fala do ministro do país é a primeira sugestão de uma possível redução adicional na produção. Antes do encontro em Argel, Bouterfa vinha pressionando por um corte de produção da Opep em 1 milhão de barris por dia para estabilizar as cotações.

(Por Lamine Chikhi)