Raízen faz parceria com startup para antecipar projeção de safra de cana

sexta-feira, 7 de outubro de 2016 09:49 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Raízen, uma das maiores empresas de energia do mundo, fechou uma parceira com a startup brasileira de inteligência artificial Space Time Analytics que deverá permitir à empresa prever, com até um ano de antecedência, a capacidade de produção da safra de cana-de-açúcar em todas as suas unidades.

Joint venture da empresa de infraestrutura e energia Cosan com a petroleira Shell, a Raízen afirmou que o modelo é inédito no país não só pelo formato mas também pela escala de produção. A companhia é a maior produtora individual de açúcar e etanol de cana do mundo, com 24 unidades produtoras.

"Nossa parceria de inovação com a Space Time Analytics é estratégica e vai gerar um impacto positivo na utilização dos nossos ativos... aumentando a produtividade e reduzindo o risco operacional de nosso negócio", disse o vice-presidente-executivo de Etanol, Açúcar e Bioenergia da Raízen, João Alberto Abreu, em nota enviada à Reuters.

A Raízen produz cerca de 2 bilhões de litros de etanol por ano, 4,5 milhões de toneladas de açúcar/ano e tem capacidade para gerar cerca de 940 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar.

A previsão é que o novo sistema comece a operar nos próximos meses.

Segundo a Raízen, a parceria, firmada após um ano de trabalho conjunto, permitirá análise de dados agronômicos e meteorológicos, obtidos por meio de drones e de satélites, em tempo real, visando melhorar os processos de planejamento e de gestão de riscos.

A plataforma, em sua primeira versão, permitirá o gerenciamento de riscos em toda a cadeia, desde o plantio até a operação comercial.

A primeira solução da parceria estratégica, A-RowTM, automatizou a identificação de 100 por cento das linhas de plantio da Raízen, mapeando as falhas de plantio com melhor assertividade e em uma velocidade 20 vezes maior que com tecnologias convencionais.

A Space Time Analytics também pesquisa soluções de planejamento e gerenciamento de risco em outros setores, com foco especial no agronegócio e no setor de base florestal brasileiro e internacional.

(Por Roberto Samora)