Mercados chineses atingem máxima de 1 mês

terça-feira, 11 de outubro de 2016 07:50 BRT
 

XANGAI/CINGAPURA (Reuters) - Os mercados chineses avançaram para a máxima de um mês nesta terça-feira, conforme plano de Pequim para reduzir a dívida corporativa desencadeou apostas de fusões e reestruturação entre as empresas estatais listadas na bolsa.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, teve alta de 0,4 por cento. O índice de Xangai subiu 0,59 por cento.

Os investidores receberam bem as informações emitidas pelo gabinete da China na segunda-feira para reduzir o aumento da dívida corporativa, que incluirá o encorajamento de fusões e aquisições, falências de securitização da dívida.

A maior parte do restante da região ficou em baixa. O índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, tinha queda de 1,13 por cento às 7:47, com os investidores vendo menores chances de o republicano Donald Trump vencer a eleição presidencial nos Estados Unidos.

Mas o índice Nikkei do Japão teve alta de 0,98 por cento, nível mais alto em mais de um mês, graças a um iene mais fraco.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,98 por cento, a 17.024 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,27 por cento, a 23.549 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,59 por cento, a 3.066 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,40 por cento, a 3.306 pontos.   Continuação...