Produção de aço do Brasil em setembro tem 1a alta anual desde junho de 2015

quarta-feira, 19 de outubro de 2016 19:14 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - As siderúrgicas do Brasil tiveram em setembro a primeira alta de produção sobre o mesmo mês do ano anterior desde junho de 2015, com a entidade que representa o setor vendo que o pior da crise vivida pela indústria no país passou, apesar de não ser possível estimar o momento de uma retomada efetiva da atividade.

A produção de setembro somou 2,578 milhões de toneladas, crescimento de 3,1 por cento sobre o mesmo mês do ano passado, mas uma queda de 6,8 por cento no comparativo com agosto.

As vendas no mercado interno ficaram perto da estabilidade, recuando 1,3 por cento sobre um ano antes, a 1,468 milhão de toneladas. Sobre agosto houve queda de 0,8 por cento.

"A intensidade da queda dos indicadores do setor vem dimuindo. Não dá para dizer que chegamos ao ponto de inflexão, mas pela reação que observo nas curvas dos índices, dá para dizer que o pior provavelmente já passou", disse o presidente executivo do IABr, Marco Polo de Mello Lopes.

Segundo ele, o setor está operando atualmente com uso de 60 por cento da capacidade de 48,9 milhões de toneladas de aço bruto por ano, mas com o esperado crescimento da economia em 2017, essa taxa deve avançar a "no mínimo 75 a 80 por cento".

O IABr divulgou no início de junho que esperava para este ano queda de 14,4 por cento no consumo aparente de aço no país, indicador que considera vendas internas da liga e importações.

No acumulado até setembro, o consumo mostra retração de 19 por cento. Apesar disso, Lopes afirmou que há cinco meses os indicadores do setor têm mostrado redução consistente na intensidade de retração. "Certamente, para 2017, a gente imagina que vamos ter condições de crescer", acrescentou Lopes.

A indústria tem convivido em um ambiente de intensa competição comercial internacional por conta do excesso de oferta da China e mais recentemente tem visto aumento na rivalidade externa pela imposição pelos Estados Unidos de sobretaxas às exportações de aço laminado brasileiro.

Lopes, que há 10 dias estava em evento da indústria mundial de aço em Dubai, comentou que a indústria latino-americana deverá discutir a questão na próxima semana no Rio de Janeiro, durante o fórum da Associação Latino-Americana de Aço (Alacero).   Continuação...