Autoridades chinesas convidam Brasil para audiência em investigação sobre açúcar

quinta-feira, 20 de outubro de 2016 12:03 BRST
 

(Reuters) - O Ministério de Comércio da China irá realizar em 10 de novembro uma audiência relacionada à investigação sobre importações de açúcar pelo país, com o objetivo de discutir o aumento dos volumes que entram na nação e o impacto desse fluxo para a indústria local, segundo comunicado divulgado nesta quinta-feira.

Países convidados a enviar representantes à audiência incluem Brasil, Austrália e Coreia do Sul.

A China, maior importador global de açúcar, abriu uma investigação sobre as importações do produto de todas as origens no último mês após reclamações de sua indústria local. O processo abre caminho para que o país aplique salvaguardas às suas compras externas de açúcar.

O ministério disse na época que a investigação vai avaliar importações desde 2011, com foco em possíveis medidas protecionistas de outros países em benefício de seus produtores.

O ministério lista a embaixada brasileira na China e a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), que representa usinas do centro-sul do Brasil, entre as partes relevante no processo.

Os interessados têm até 27 de outubro para se inscrever para participar da audiência, segundo o documento desta quinta-feira.

A Unica já mandou manifestação preliminar à China argumentando que não há justificativas para que o país asiático eventualmente aplique salvaguardas ao açúcar brasileiro.

O Brasil é o maior produtor e exportador global de açúcar e a China é seu maior cliente. O país asiático comprou quase 10 por cento das exportações do centro-sul do Brasil na temporada 2015/16, que totalizaram 23 milhões de toneladas.

Salvaguardas usualmente são implementadas por meio de alta acentuada de tarifas de importação, o que poderia inviabilizar as exportações para a China.

(Por Gustavo Bonato, em São Paulo)