Produção global de vinho deve cair para mínima de 4 anos, com problemas na França e no Brasil

quinta-feira, 20 de outubro de 2016 13:40 BRST
 

PARIS (Reuters) - A produção global de vinho deverá cair este ano para o menor nível desde 2012, principalmente devido a um clima adverso que reduziu a produção na França e na América do Sul, incluindo o Brasil, disse nesta quinta-feira a Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV, na sigla original).

A produção de vinho deverá cair em 5 por cento ante o ano passado, para 259,5 milhões de hectolitros (mhl), um dos três menores volumes desde 2000, disse a entidade sediada em Paris em uma estimativa preliminar para o ano.

A previsão é de queda de 12 por cento na produção francesa, para 41,9 mhl, e fortes recuos no Brasil (recuo de 50 por cento, a 1,4 mhl), no Chile (-21 por cento, a 10,1 mhl) e na Argentina (-35 por cento, a 8,8 mhl).

A África do Sul também deverá impactar a produção global, com perda de 19 por cento, atingindo 9,1 mhl.

Um hectolitro representa 100 litros, ou o equivalente a cerca de 133 garrafas padrão (750 ml).

A queda na produção da França era amplamente esperada, após as videiras sofrerem com geadas e queda de granizo na primavera, seguidas de seca no verão.

O recuo na França deverá permitir que a Itália mantenha a posição como maior produtor global de vinho, com produção estimada em 48,8 mhl, embora ligeiramente atrás da produção do ano passado, 50 mhl, disse a OIV.

A previsão de produção de 259,5 mhl representa o ponto central de uma faixa de estimativas de 255 mhl a 264 mhl, disse a organização.

(Por Gus Trompiz e Pascale Denis)