Presidente do BC japonês sinaliza chance de atraso para atingir meta de preço

sexta-feira, 21 de outubro de 2016 10:55 BRST
 

Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) - O presidente do banco central do Japão, Haruhiko Kuroda, disse que o Banco do Japão pode adiar o prazo para atingir sua meta de inflação na revisão de política monetária deste mês, dada a fraqueza no avanço dos preços.

Kuroda não especificou como tal atraso poderá afetar a decisão política monetária do Banco do Japão, embora tenha ressaltado que as compras de títulos do banco podem desacelerar no futuro, se os rendimentos dos títulos de 10 anos caírem bem abaixo de sua meta de cerca de zero por cento.

Falando no Parlamento nesta sexta-feira, Kuroda disse esperar que o crescimento econômico do Japão acelere no próximo ano fiscal ante o atual, devido à melhora das perspectivas de crescimento global.

Mas ele sugeriu que a fraqueza recente do núcleo de preços ao consumidor, que marcou o sexto mês consecutivo de quedas anuais em agosto, pode forçar o Banco do Japão a cortar sua previsão de inflação na revisão trimestral das projeções na reunião de 31 de outubro e 1 de novembro.

"Pode haver algumas modificações na nossa previsão de que a inflação vai atingir nossa meta de 2 por cento durante o ano fiscal de 2017", disse ele.

Kuroda acrescentou que qualquer redução será devido principalmente ao efeito dos preços fracos do petróleo e das altas recentes do iene, que derrubaram os custos de importação.

"Vamos continuar a implementar uma política monetária extremamente expansionista, não apenas para atingir os 2 por cento, mas para permitir que a inflação real vá além de 2 por cento", disse ele mais tarde em um seminário nesta sexta-feira.